Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Hás de me encontrar...

Quinta-feira, 24.11.16

Se quiseres saber de mim...

MONTAGEM HELENA 3.jpg

 

Hás de me encontrar pelas madrugadas orvalhadas de suspiros, olhar perdido no horizonte enternecido de cores, olhando tristemente o caminho percorrido por passos entrelaçados de lembranças...

Hás de me encontrar no rastro das estrelas cadentes que muitas vezes iluminou a esperança e me fez crente na realização de tudo aquilo que eu me permitia sonhar... 

Hás de me encontrar também no soprar da brisa que vem mansa carregando as palavras que ficaram esquecidas pelas estradas, no desejo de um dia se transformarem  em versos...

Hás de me encontrar aqui,

esperando o vento soprar forte para afastar das veredas

os pedregulhos que me machucarão os pés...

MONTAGEM HELENA 5.jpg

 

 

 

 

Mas se quiseres mesmo saber de mim

hás de me encontrar

no alto de uma montanha

a olhar o horizonte por onde o sol vai nascer,

na esperança de que possa ser iluminada

a parte da estrada

que ainda tão cheia de sombras

me desencoraja um novo caminhar...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 17:23

Uma noite longa...

Quarta-feira, 16.11.16

É tarde dentro de uma noite onde as sombras se esgueiram

por entre as frestas de um minúsculo tempo

que se esconde no desvão de uma escada

onde o arco-íris desinventa cores 

numa arte tão sutil que a lembrança até pensa

que ali poderá se infiltrar...

 

E por um momento, um átimo de um tempo tão infinitamente longo, o arco-íris se mostra belo, tão belo que o olhar se enfeitiça num mosaico que se faz explodir em vivas cores deixando uma ardência nos olhos cansados de olhar para o rastro que um pincel criado no vento pintou num chão molhado onde a alma fica a escorregar sem conseguir um fragmento de fantasia que a possa proteger...

E tudo volta a doer!

 

"Sleeping woman" de Anuraag Fulay

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 09:30

Palavras intocadas...

Sábado, 12.11.16

Ainda tenho palavras intocadas dentro de mim...

 

Recolhi-as como fiapos entrelaçados nas mãos de deuses que as fizeram brotar no suspiro de um relógio que pulsava na noite que se aveludava nas sombras já fenecidas pelo tempo, tal uma flor escondida num livro qualquer esperando que alguém ao folhear suas páginas pudesse repousar o olhar nas suas pétalas  e descobrir o segredo de amor que um dia fez pegadas na relva macia...

E as palavras dentro de mim a suplicar

pela sombra de um luar que as cubra

para que possam renascer no desabrochar da aurora

criando versos menos dolorosos

em poemas de grandes sentires...

Tela de Richard Edward Miller

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 11:50

Meu anjo protetor...

Quinta-feira, 10.11.16

Adormeci atada no soluço que me cingiu

em asas de veludo e me levou 

pela mansidão do sono

dissipando dores e saudades...

 

E tu vieste qual anjo protetor

a derramar ternura nos meus olhos

margaridas sobre os meus cabelos

estrelas nas minhas mãos 

que ficaram a refletir no teto

as lembranças de um tempo

em que me acordavas

com palavras cultivadas em pérolas

que me seguiam pelo dia afora...

Despertei e estendi os braços que voltaram vazios de ti... No ar, um perfume de rosas!

Já na rua notei que no meu olhar se debruçara um minúsculo raio de sol que fazia reflexo nos pedregulhos que delicadamente se afastavam para que meus pés pudessem livres caminhar...

 

"Daphne" - Pintura de Frederic Leighton

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 00:08

Feliz Aniversário!

Terça-feira, 08.11.16

Hoje seria o teu dia!

Hoje é o teu dia... E será sempre naquele calendário

marcado em letras douradas dentro de mim!

 

Obrigada, amor meu, por ter vindo nesta manhã me erguer nos braços alçando um voo muito além da tua ausência, para que eu não me soterrasse naquele travo de tempo que me prendeu a voz e me paralisou os gestos no despertar deste dia em que seria o teu aniversário...

Obrigada, anjo meu, pela força que me veio de ti! Pela paz que me trouxeste num sonho tão bonito e que me fez divisar o horizonte que meus olhos vendados se recusavam a ver... Vem comigo, meu doce amor, e me ajuda a filtrar as recordações de outras datas como esta que hão de me seguir pelo dia afora...  

Hoje à noitinha, numa hora que era somente nossa, eu te prometo que irás receber nas asas dos anjos dourados a suavidade daquela música de que tanto gostavas, e que me pedias sempre para tocar naquelas tardes em que nos aconchegávamos ao piano para musicar sonhos, promessas e beijos... Hoje, em homenagem a ti, eu prometo deslizar as mãos novamente sobre as teclas do nosso piano (que se encontra fechado desde que partiste...) tão de manso, tão solitariamente, tão baixinho que somente tu hás de ouvir a doce melodia de que tanto gostavas... Será a minha homenagem a ti, minha forma de dizer: Feliz Aniversário, meu eterno Amor!

Só não posso te prometer não chorar... 

 

Tela de Childe Hassam
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 10:15

Quando me perco de mim...

Sábado, 05.11.16

Muitas vezes me perco de mim

e a ausência me deixa farta de infinito 

e exausta de céus e mares...

E me pergunto que veredas percorrer depois que as esquinas começaram a devorar as ruas que as formavam.  Muitas vezes o vazio ao invés de me machucar, pacifica-me, pois o olhar se perde nas camuflagens que as palavras arranhadas esconderam dentro de si, e assim me agasalho na voz que esconde um silêncio adoecido de mazelas...

As mãos se acomodam no regaço das nascentes e ficam a enxugar as lágrimas que os olhos bordaram no pastoreio dos gestos cansados de existirem. 

E saio a me procurar passeando nas asas da borboleta colorida que pelo quarto esvoaçou trancando a lembrança de um pesadelo nos ponteiros que lentamente moviam as horas de um relógio que não mais existia num tempo que não mais pulsava...

 

Tela de Fabiana Strauberg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 13:30

Para sempre...

Terça-feira, 01.11.16

Hoje a saudade veio aninhar-se junto a mim

naquela rede que a tarde cobria num manto de paz

solfejando nas notas do piano as vestes da alegria

para entreter com uma melodia o nosso olhar extasiado de flores...

redes-para-jardim-0.jpg

 

E ficávamos nós dois ali, de mãos dadas, brincando de jogar olhares  que divagavam ternura num tempo tão longe passado, outras vezes com sorrisos alongados para os dias que ainda se escreviam num quadro de futuro tão distante que nem nosso olhar arcoirizado de certezas poderia alcançar...

Éramos dois apaixonados a passear pelas colinas alaranjadas de um pôr de sol tão reluzente que nos permitia divisar os deuses a pintar desejos em matizes que nenhum mortal poderia conceber.

Hoje meu olhar não consegue divisar os deuses a colorir o horizonte nem escutar o piano se vestindo de alegria nem sentir a tua mão a segurar delicadamente a minha... 

Fecho os olhos e te vejo a me acenar num mosaico de ternura a colorir os passos que teus pés teceram no rendilhado dos caminhos por ti percorridos.

Hoje, em que as lembranças se acentuaram no rastro da tua luz, estou te mandando de presente um punhado de pétalas de rosas brancas aninhadas nas asas daqueles anjos dourados que tu me apontavas dizendo que eram eles que me protegiam...

É a ti, meu doce amor, que hoje eles protegem! Tu, que o Pai quis aninhar novamente entre as Mãos que um dia te depositaram no mundo para iluminar os seres que de ti se acercavam...

São para ti as lembranças deste imenso amor que habitará para SEMPRE o meu coração doído de SAUDADE. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 00:03