Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma saudade que traz lembranças...

Quinta-feira, 30.03.17

Ainda que eu quisesse não poderia eternizar o tempo no alvorecer que escorre benesses por entre os dedos dos deuses que colocam o universo em movimento, tal a fugacidade dos pensamentos que meus dedos ágeis não conseguem prender.

montagemHELENAblog.jpg

Houve um tempo em que o vento ondulava os passos rendilhando a noite e enfeitiçando nossas palavras no sopro apaixonado dos deuses notívagos. O sol despontava num horizonte ainda coberto com a bruma da madrugada, que sonolenta se espreguiçava para além dos montes.

E nossas palavras entremeavam douradas promessas que o vento enlaçava nas ondas do mar, para reluzir nos cabelos dourados das sereias que famintas de carinho lançavam ternurentos olhares para os deuses que de longe as espiavam, tímidos e temerosos da sua sedução.

E ficávamos os dois a fitar aquele horizonte

onde nosso olhar repousava manso

no encontro da vermelhidão do céu

com a serenidade do mar...

Hoje as ondas passam ao longe! 

Sabem que não mais existem as palavras que enfeitariam o despertar do sol no horizonte, levadas que foram pelo vento desejoso de agradar deuses e sereias nos roubando os preciosos acordes que solfejavam as canções do nosso existir. 

Mas mesmo assim o vento vem repousar na minha memória

tentando recriar uma nova madrugada no imenso amor

que dentro de mim ainda germina saudades de ti...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 13:05

Só hoje...

Quarta-feira, 29.03.17

Hoje, trocaríamos alianças, renovaríamos os votos,

receberíamos novas bênçãos,

e selaríamos nosso amor ao som da Ave-Maria de Gounod...

 

Mas não conseguiste esperar que o nosso ciclo de 8 anos se fechasse, e partiste para atender um chamado maior...

E foram tantas as vezes que eu te prometi não chorar, não sofrer, não soluçar de dor...

 

Mas hoje, meu anjo lindo, só hoje, quero expurgar todas as lágrimas, expulsar todos os lamentos por não estares aqui a comemorar aquele dia em que bordamos ternura no nosso olhar transparente de amor, e entrelaçamos em nossas mãos aqueles sonhos divisados no horizonte de nossas almas...

E vivemos estes anos todos a compor uma suave melodia onde nossas vozes suspiravam poesia em acordes tão fáceis de tocar... Oito anos em que a vida tanto nos sorriu e tão poucas vezes nos fez chorar...

Só hoje, meu doce amor, não me impeça de deixar cair algumas lágrimas das muitas que ainda estão a arder nos meus olhos, e não se entristeça com os soluços que ainda habitam o meu coração...

Porque amanhã, eu prometo que ao levantar

vou procurar entre as flores do nosso jardim

um dos sorrisos que ficaram espalhados

quando passeávamos de mãos dadas

num tempo que tão longe vai...

Vou colocá-lo no meu rosto

e sair pela vida a cantar alegrias

até que um dia elas venham de verdade

a minha alma habitar... 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 03:27

Em algum lugar...

Sexta-feira, 24.03.17

Existe um lugar arquitetado pelas mãos dos deuses notívagos

onde foram escondidos os segredos dos amores indesvendados...

 

 

Lá onde as palmeiras revoam

projetos inalcançados

que os deuses saturados de impaciência

fizeram em escombros

dilapidando os mais recônditos esboços

traçados nas pilastras do tempo...

 

 

 

E no correr da brisa que desflora os segredos

das paisagens embrumadas de atalhos

seguem também os suspiros, murmúrios e lamentos

dos lírios que fenecem no cair da tarde...

E os mensageiros dos deuses que se enfeitam com as lágrimas enluvadas em florescentes arabescos, retornam calados à morada do vento... Lugar que os deuses que tecem a escuridão da noite escolheram para esconder os segredos que nunca serão revelados...

 

"Vento" pintura de Mário Fresco

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 01:05

Cultivando sonhos...

Sexta-feira, 17.03.17

É por cultivar um sonho... 

 

Que desperto nas manhãs tecidas no orvalho de uma grama que se enraizou na aurora que buscava no horizonte das nossas vigílias pequeninas flores para enfeitar o leito onde adormecemos nossos sonhares.

É por cultivar um sonho, que encontro tardes perfumadas com as flores que pintaste pelas calçadas da vida, espalhando no meu caminhar o colorido de uma Primavera refugiada nas colinas, onde os querubins brincavam com asas de encantar borboletas.
É por cultivar um sonho, que me debruço na noite nascida na miríade de estrelas que salpicaste no meu olhar, para que meus pés se dourassem ao flutuar no retorno para o aconchego de minha alma.

E é só por causa de um sonho que ainda bordo manhãs,
tecendo nas tardes o rendilhar das noites
como no início de tudo aquilo
que meu olhar teceu nas lembranças,
quando ainda alcançava o horizonte
e divisava um rouxinol a cantar...

 

"Colhendo sonhos! - Pintura de Vicente Romero

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 11:30

***

Quarta-feira, 08.03.17

E quando o silêncio se faz necessário...

 

 

 

 

A música preenche o vazio!

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 11:53

Tu estarás sempre comigo...

Sexta-feira, 03.03.17

Tu estás comigo, quando meus olhos vagueiam pelas planícies desfolhando os alvoreceres que os deuses diluiram nos meus sonhos nas noites em que cansada de chorar andei a vagar por entre os vãos das montanhas, sem me lembrar de despir as vestes que me cobriam a nudez do existir.

Tu estás comigo, quando meus pés pousam de manso nas pétalas vermelhas que desprotegidas flores deixaram ser levadas pelo vento que no momento carregava os pecados que seriam expurgados numa eternidade encravada nas pedras que choravam os suspiros dos amantes que distantes ainda se protegiam.

Tu estás comigo, quando a minha alma se banha na nascente do arco-íris, buscando no rebrilhar das cores os versos coloridos que se perderam no entremeio dos raios de um sol que teimava em desvendar os segredos guardados nas redes onde descansavam os querubins.

Estás sempre comigo, mesmo agora que não mais estás, porque a minha saudade vai te buscar e te prende no meu olhar alongado, onde um inaudível suspiro se equilibra para diluir as pequeninas lágrimas que ainda teimam em bordar lembranças na beirada do infinito...

 

Contemplação - pintura de Vicente Romero

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 00:39