Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O pássaro e eu

Domingo, 02.04.17

E o vento passando

embaraça meus cabelos

enovela minhas vestes

e rodopia em volta de mim

como se me convidasse a bailar...

Mas como não sei dançar a música do vento

sinto os pés quedarem por um momento

como asas de um pássaro indeciso

sem saber que rumo tomar...

E assim, pairando livre, sinto-me presa num sonho que se prendeu nas asas de um pintassilgo que me olha como se senhor do meu destino ele fosse e estivesse a avaliar se mereço ou não o seu canto, se me sustém no ar mostrando o rumo a seguir ou se quebra a magia e me deixa cair ao chão. E presa neste momento de fascínio aguardo que o canto ou o silêncio de um pássaro decida meu destino.

O pintassilgo a me olhar

de olhar atento e eu,

a olhá-lo de olhar angustiado

sem conseguir definir

o que quer de mim ...

Até que num repente ele se põe a cantar e o seu festivo trinado faz desatar as teias que me sustém a pouco mais do chão. E de tramas desatadas sinto o pintassilgo me prender em suas asas de cetim, alçar voo, e me levar com ele a palmear o infinito azul...

Somos só nós dois,

eu e o pintassilgo!

O seu voo e o meu sonho

a criar asas na vastidão de mim!

 1 . Windswept (John William Waterhouse)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 22:26