Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Ainda navego por mares...

Terça-feira, 25.04.17

Ainda navego por mares que me sugam as forças...

 

Nasci nas águas de um regato

e vim pelos mares colhendo as lágrimas

dos pequeninos seres

que indefesos entre os pedregulhos

sentiam no peito o soluçar de ondas

que de longe chegavam

como se atadas ao ventre materno

após o embate com rochedos  

que bloqueavam seu renascer...

 

 

 

Ainda navego por mares 

e desbravo as vagas de chegar tardio

procurando desvendar o marejar dissonante

das ondas que se desfazem 

para aportar os males da humanidade

que teimam em afastar os cais

fragilizando vontades

inutilizando gestos protetores

que no despertar de um sentimento atávico

perpetua a inutilidade dentro de mim...

 

 

{05B3612F-23D6-431F-904E-410B64BA243B}_VitorBraga_

 

E os olhares que se juntam 

em atadas alianças

chegam adornados de lembranças

traduzidas nos versos de um poema...

E quando os veios das nascentes

percorrem livres o choro do renascer

nos olhos da esperança

toda a beleza do mundo é recriada

no tilintar de um sino que faz descer

abençoadas lágrimas na fronte de uma criança...

 

 

 

1. "Navegar" pintura de Bruno Netto

2. "Renascer" Bruno Netto

2. "Batismo" obra de Ado Malagoli

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 11:54


39 comentários

De Jaime Portela a 05.05.2017 às 12:48

Navegar é preciso...
Excelente poema, minha amiga, gostei imenso.
Bom fim de semana, Helena.
Beijo.

De ines a 04.05.2017 às 16:21

Mais uma vez, um excelente poema. É encantadora a maneira como escreve.

"E quando os veios das nascentes
percorrem livres o choro do renascer
nos olhos da esperança
toda a beleza do mundo é recriada"

Faz tanto sentido hoje para mim, a minha parte preferida do poema.

De António Santos Gomes a 04.05.2017 às 16:20

Olá, penso que já comentei esta sua publicação, resta-me desejar-lhe um lindo fim de semana,
AG

De Smareis a 04.05.2017 às 06:38

Bom dia Helena!
Estava com saudade!

Que poema lindo, primoroso de uma imensa beleza, com passos de luz, cheio de sentimentos, lindamente escrito, do jeitinho que o coração quer.
Nessa água que tu nasceste contém a essência do amor, da vida, da sabedoria. Por onde tu passas sempre ficam tuas pegadas de luz que acalenta tantos corações tristes. Continue navegando minha querida, porque logo ali... Bem lá adiante... Lá na linha do horizonte com certeza tem um porto a tua espera. Navegar é necessário, e abençoadas sejam as surpresas risonhas encontradas pelos caminho.

Desejo-te um belo amanhecer enfeitado de flores com caminhos de poesias.
Um grande abraço abraçando o teu.
Um cesta de sorrisos pra ti!
Um beijo no coração!
Uma ótima semana!
Um ótimo mês!

Até daqui a pouco!

De LuísM Castanheira a 03.05.2017 às 18:15

Helena:
Enquanto a 'janela' não se fechar
passarei por aqui.
No Antigo Egipto, quando a Morte chegava, pesava-se o coração.
Acreditava-se que ele continha todo o Bem e todo o Mal feito durante a vida.
Se fosse mais leve, a Alma seguiria para o Paraíso.


Eu não preciso de saber o peso do seu...
Sei que é leve como a brisa
a oscilar a jovem folha.

Um beijo, Amiga (do deus no olhar)

De O Arabe a 02.05.2017 às 18:19

Abençoado navegar, Helena, que te leva a nos proporcionar uma viagem de poesia sensível e delicada! Belo post, amiga; boa semana.

De CÉU a 02.05.2017 às 00:29

Nasceste de e nas águas benfazejas, puras, lavadas e vieste, subindo, descendo, por oceanos de amor, com a finalidade de fazeres os outros felizes, sobretudo os mais pequeninos, os indefesos, aqueles que não têm ainda força física, mental e social para se "imporem", mas, tu, ancoradouro, PORTO SEGURO, estás pronta, sempre, pronta, apta, dedicada, "aberta" a acolher quem sofre e quem precisa de um laivo de carinho e atenção. São as tuas vivências diárias, os acontecimentos, menos esperados, que te põem no coração palavras mágicas, como as que, deliberada e lindamente, aqui bordaste.

Graças a Deus que a tua "navegação" continua e continuará, por muitos anos. Só assim o mundo, a vida tem e faz, terá e fará sentido. Não te podes deter nos tropeços, nos entraves, que vão surgindo no percurso, pke eles dele fazem parte e desistir é próprio dos fracos e tu o não és, não! A vida já te colocou à prova, várias e variadíssimas vezes e tu sempre soubeste, com pranto, eu sei, lhe dar uma resposta firme de continuação, pke os mares são longos, muito mais longos, os teus, dos que os da Mãe Natura.

Bem sabes que há muita utilidade em ti e naquilo que fazes, mas compreendo, que, por vezes, te sintas sem poderes para contornar "GIGANTES ADAMASTORES", "VÍBORAS", ventos e correntes marítimas adversas, tal como os Portugueses no tempo dos Descobrimentos, mas eles deram MUNDOS AO MUNDO e chegaram até aí, à tua Pátria Amada, portanto, tens de continuar "descobrindo" e "conquistando", pois só assim, teu "Império de Amor" crescerá, ainda mais, não reconhecendo fronteiras.

E nos olhares dos inocentes, dos puros, encontras toda a felicidade do mundo e é esse mesmo sentimento, que te faz escrever, desse jeito, como se de uma oração ou de um batismo se tratasse.

As pinturas escolhidas são mto lindas e sobretudo se aliam, na perfeição, à tua finalidade: NAVEGAR, RENASCER E BATISMO.

UM POST VERDADEIRAMENTE HUMANISTA. PARABÉNS POR AMARES TANTO TEU SEMELHANTE!

Beijos, flores de todas as cores, sóis e estrelas iluminando e inundando teu oceano, DE DOAÇÃO.

De vera Lucia Duarte a 01.05.2017 às 01:34


Olá, querida Helena,
Navegar é preciso, por mais bravios que sejam os mares.
Estamos vivendo em tempos difíceis e sendo testados a todo instante em nossa força e fé.
Para aqueles que se alimentam de objetivos sagrados, como os que você desenvolve, sempre haverá uma força maior a amparar os passos e iluminar os caminhos.
Você é guerreira, ao mesmo tempo forte e sensível. Uma mulher admirável e linda.
Como você lindamente versa: "nos olhos da esperança/toda a beleza do mundo é recriada".
Vamos procurar manter acesa a chama dessa esperança, pois o sol sempre volta a brilhar.
Belíssima a sua nostálgica inspiração poética, brotada do âmago de sua alma iluminada.
Também lindas as obras escolhidas para ilustrá-lo.

Conforme lhe respondi lá no meu recanto, entendo perfeitamente que não é fácil para você dedicar-se ao blog e às interações. Sei que você tem muitas atribuições e que é muito dedicada a todas elas. Todavia, não pense em encerrar o seu lindo espaço, pois, de certa forma, ele ajuda você a extravasar seus sentimentos, além de lhe dar oportunidade de se dedicar a algo que você gosta, que é liberar seu espírito poético. Isso sem contar que você recebe muita atenção e carinho dos amigos, o que conforta seu coração sofrido. Continue publicando e visitando no seu tempo. Os amigos compreederão.
Todos que perdem pessoas queridas precisam de um tempo para adaptar-se à vida sem a presença delas. É sofrido, bem sei, mas o tempo vai suavizando a dor da perda. Conter a saudade é difícil, pois nosso coração insiste em se perder em recordações. Claro que dia virá em que a alegria voltará a habitar o seu coração, o que não quer dizer que o seu amor será esquecido.

Tenha dias lindos e serenos!

Beijão.

De P.P. a 30.04.2017 às 19:21

Olá, Helena.

Que belo momento.

Estive doente, no período compreendido entre o Carnaval e a Páscoa, resultado das alterações climáticas que se verificam no país. Aqui, tal como no Brasil, já não há estações do ano. Hoje, por exemplo, faz frio. Talvez 8 a 10ºC. Quarta já se prevêem 20º!
Continuo a escrever como PP sem ainda ter referido que sou o Paulo Vasco do Sonhos Desencontrados no Wordpress. "Mudei-me" para o Sapo, assinando apenas como PP, para encontrar alguma liberdade. No nosso país, os professores sofrem alguma pressão pois se lidos por alguém das suas escolas, e caso tenham escrito algo que entre em desacordo com a direção, logo são denunciados. Penso dar continuidade ao blogue. Não sei... Ainda há espaço para blogues, querida Helena? Ou devemos dar lugar a meras páginas de Facebook, cuja duração acredito efémera?
Sinceramente, não sei se devo manter-me na blogosfera, seja aqui, seja no WP.

Beijo enorme,
PP

De Mariazita a 30.04.2017 às 16:15

Leninha, minha muito querida amiga
Depois de uns dias de ausência, a gozar umas mini férias, que tive que interromper por doença, estou regressando, devagar...
Já me encontro melhor, terminei os antibióticos, agora é só restabelecer...
Isto me manteve afastada dos blogs nas duas últimas semanas. Mas agora vim para ficar!!!

Estes teus versos, constituindo um belo poema, parecem-me retratar o teu interior generoso, sempre preocupada com o bem estar alheio, com predominância, NATURAL, para as crianças.
Estão repletos de nostalgia e alguma tristeza, o que só denota a tua consciência plena do mundo imperfeito em que vivemos.

Adorei o teu comentário na minha "CASA".
Entendo perfeitamente que a vida tão preenchida por afazeres, os mais belos e generosos que se podem imaginar, não te deixe muito tempo livre para a Net.
E compreendo também que essa é, além da tua tendência natural para esse género de obras, uma forma de ajudar a preencher o espírito e aliviá-lo de pensamentos que, por vezes, se tornem tão dolorosos que nos parecem insuportáveis.
Mas, minha querida, ainda que vás rareando as aparições... não desapareças por completo.
É tão bom ler o que escreves... E receber as tuas visitas? Queres coarctar-nos esse tão grande prazer??? NÃO PODES!!!

Desejo-te o maior sucesso em todos os teus empreendimentos, tão meritórios.
Votos de um Domingo feliz
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS (http://acasadamariazita.blogspot.com/)


Comentar post