Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Blog encerrado *

Quarta-feira, 12.07.17

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 13:58


81 comentários

De Emilia pinto a 21.07.2017 às 19:12

Fiquei sem chão e não encontro palavras para manifestar a minha tristeza;a Leninha " visitou-me " antes da cirurgia, mas nunca imaginei que fosse para se despedir. Precisamente há duas horas recebi a noticia da morte de um grande amigo e agora, lendo um blog, vejo que a Leninha também já estava junto das estrelas que ela tanto gostava de enviar para os amigos misturadas com beijos e sorrisos. Estou muito, muito triste e nunca a vou esquecer
Para você, Vera, deixo um forte abraço de solidariedade com a sua dor e os votos de que a força não lhe falte para continuar a sorrir
Emilia Pinto

De Vera Lúcia a 21.07.2017 às 22:48

Emília, grata pela visita e palavras de carinho e afeto. A Leninha parecia sim que estava se despedindo dos amigos e familiares pelas atitudes que teve nos últimos dias. E segundo relato de muitos dos seus amigos blogueiros as suas visitas tiveram um cunho de despedida.
Para mim vai ser muito difícil acostumar sem a sua presença na minha vida, mas estou encontrando forças nas lembranças bonitas que ela deixou na sua história de vida.
Um abraço sincero para você e muita paz na sua vida.

De Maria Glória D'Amico a 21.07.2017 às 00:34

Sinto muitíssimo Vera. Mesmo sabendo que a morte acontece na vida de todos nós, ficamos chocados, pois pelas orações, mantemos o coração amplo de esperança, vibrando pela cura e saúde.
Por outro lado, sabemos que o tempo cuida de tudo na nossa vida. Então, ele está encarregado de embalar o seu coração e, assim, a compreensão se fará presente.
E espero amorosamente, que você fique bem e que a Leninha, aonde estiver, esteja amparada e em harmonia.
Um forte abraço.

De Vera Lúcia a 21.07.2017 às 22:52

Maria Glória, também espero que a Leninha esteja bem e amparada como você disse, e tenho certeza de que assim será, pois já tinha lá em cima aqueles que eram laços de sangue e que por certo estão hoje todos juntos.
Grata pela visita e palavras de afeto.
Meu abraço afetuoso.

De Mãe Maria a 20.07.2017 às 09:30

Foi tão pouco o tempo de amizade que tive o prazer de privar com ela, mesmo tendo sido apenas uma amizade virtual, a Leninha entrou tão fundo no meu coração que, esta sua repentina partida, me marcou tão fortemente. Ainda hoje choro por dentro e, em muitos momentos do dia, me lembro dela. Venho aqui, sempre a espreitar, na ânsia de a encontrar. Está difícil acreditar. Isabel Maria.

De Vera Lúcia a 20.07.2017 às 13:56

Mãe Maria, também para mim é muito difícil até hoje acreditar que a Leninha se foi. Para todo lugar que olho eu a vejo sorrindo, e isto me dói no fundo da alma, esta ausência tão sentida. Eu choro por dentro e por fora também, nem sei de onde me vem tantas lágrimas. Dizem que com o tempo a saudade vai se atenuando e a dor vai diminuindo e a lembrança da pessoa fica mais suave, e muitas vezes eu quero que o tempo passe logo para isto acontecer, mas por enquanto ainda dói muito a ausência da minha menina.
Grata pelas palavras de carinho e pelo afeto que tinha para com ela.
Receba um abraço cheio de afeto.

De Toninho a 19.07.2017 às 03:45

Ah, Vera acho que ainda somos muito pobres para entender estas partidas.
Ainda aqui digerindo a ida dela um dia antes na minha pagina, como a tentar dizer que era uma partida.
Saudades sempre da Leninha.
Deus esteja com voce e a conforte como a nós todos.
Meu terno abraço.

De Vera Lúcia a 19.07.2017 às 12:44

Toninho, linda e doce a sua homenagem para a nossa Leninha. Se ela estiver vendo e ouvindo o que se passa aqui em baixo, com certeza estará com lágrimas nos olhos, sensível como ela era, assim como também fiquei de olhos marejados quando fui ao seu blog e pude ler o que sobre ela você escreveu.
Muito grata pela homenagem tão bonita, pela música, realmente uma pérola, e pela amizade que sempre teve para com a minha menina.
Também acho Toninho que somos muito pobres para entender o que a morte significa, e somente após cada partida é que o ser humano desvenda este grande mistério.
Em muitos blogs ela esteve visitando e a mensagem que deixava era como se estivesse se despedindo. A saudade há de sempre estar no coração daqueles que tiveram a felicidade de sua amizade e consideração.
Um abraço de grande afeto.

De Antonio Pereira a 18.07.2017 às 14:53

Um até…

Quem disse que a morte é um fim? A vida segue numa outra dimensão. Recomeço, novo começo; navegar no espaço-tempo para aportar no infinito, onde o eterno se explicita em encontros e reencontros. Para trás, os instantes doridos, os momentos sofridos, sob as pegadas dos passos deixados nessa Terra; as lágrimas que entristeceram a alegria. Em frente, colher nos braços os abraços furtados, adiados. Recolher a floração do bem semeado, das palavras benditas, das emanações de amor. E ali mais em frente, ver a felicidade ressorrir, ressurgir qual uma Fênix sobre as cinzas de todas as dores passadas.

Somos todos passageiros nessa viagem sem fim, partilhamos um caminho, mas, a cada um seu caminhar. Quem se adianta nessa jornada, se deixa saudades, é porque conseguiu passear pelos corações, criando laços de bem-querer, lembranças vividamente impressas na retina da memória.

Assim seguimos no tempo de Deus e de cada um de nós. Não, não há adeus! Um até… Até algum dia… Até sempre!

Homenagem a nossa saudosa amiga blogueira Leninha.

http://www.aponarte.com.br/2017/07/um-ate.html

De Vera Lúcia a 18.07.2017 às 15:41

Antonio, como eu gostei da sua mensagem para a nossa Leninha, ficou muito bonita e expressiva.
Apesar de não pensar muito no 'após morte', e confesso que seja por medo, eu acredito que existe uma outra dimensão para onde somos encaminhados. Não gosto de crer que esta vida terrena seja um princípio, meio e fim, que nada existe depois que falecemos, mas como não me aprofundo muito no tema não posso explicitar mais. Sei que gostei muito do que você falou, tocou-me o coração, principalmente porque se refere a 'minha menina' e tudo isto me emociona e me enternece. Por isso, Antonio, agradeço de coração pela sua homenagem, e com certeza a Leninha também se emocionou, pois era uma pessoa muito sensível e ficava imensamente grata com tudo que faziam por ela. Ela dava valor a tudo, a qualquer palavrinha de afeto, qualquer gesto de carinho, ela ficava enternecida.
Como você bem disse, " não há adeus! Um até… Até algum dia… Até sempre!"
Agradeço de coração por suas palavras e deixo um abraço cheio de afeto pra você.
Verinha

De CÉU a 17.07.2017 às 23:40

Verinha, querida!

Acredito que para você, SOBRETUDO, para você, o sol não tenha aparecido sequer, qto mais brilhado, os pássaros não tenham emitido nem um som, as flores se tenham curvado e fechado, as pessoas tenham ficado de olhos húmidos e sentidos e até o luar renunciou a iluminar o céu e a terra. Estou falando, liricamente, eu sei, mas tenho certeza que foi assim que você se sentiu e sentiu tudo à sua volta. Os amigos da Leninha, reais e virtuais, os confidentes de "bancada" também ficaram bem tristes e olha que o "naipe" era bem diversificado e variado.
Como alma boa k era, gostaria de acreditar k ela está, algures, numa dimensão bonita, a que não sei dar nome e se o céu, como dizem, acolhe as estrelas e as pessoas lindas, então, ela deve estar lá. "Cá pra mim", ela já deve ter feito alguns partos, com música ambiente e de forma natural e tem já "n" afilhados (rs).

A Leninha morreu, deixando quase sem chão, tantos amigos e amigas, mas eu que nunca entendi a morte, embora sabendo k ela acontece com todo o mundo, mas a Leninha era a Leninha pra você, pra nós, todavia há que encarar o facto com "naturalidade", pois ela se encarregou de "preparar" e visitar os amigos, virtuais e reais, embora subsistisse a dúvida, sempre acompanhada de esperança, como é natural, porque Leninha era humana, de carne e osso e era médica, sabendo bem, mto bem até o que poderia vir a acontecer com ela. Ela deixou em meu blog, uma conversa bem explícita, a propósito do Pai e daquilo que pudessem dizer ou sentir por ela, dando-me "permissão2 para atuar e responder, conforme, pke ela nunca foi aquela anjinha/santinha, k mtos pensavam que ela era. Estou, inteiramente, de acordo com as palavras dela, e embora tenha estado na terra, por pouco tempo, só 32 anos, para fazer o bem, e como você, Verinha, sabe disso!!!!, "endeusa-la, não seria do agrado dela, embora ela e através das suas palavras com os amigos os endeusasse tantas vezes, mas era sua forma de ser e de se exprimir. Quantos anjos lindos ela "fez" por aí e por aqui, qtos sorrisos e estrelas ela deixou para nós, qtos beijos do coração dela para os nossos, quantos? MUITOS, MUITOS!

Verinha, minha amiga, "mãe de coração" da Leninha, você disse quase tudo o que sentiu e ainda sente em seu dorido coração e todos nós já entendemos que você é discreta, atilada e não gosta de se salientar, e por ser assim, Leninha a escolheu para sua secretária, braço direito dela e confidente parcial, mas qto à doença dela, ela bem k poderia ter adiantado um pouquinho mais pra você e talvez as coisas resultassem de um outro jeito, tivessem outro final, quero dizer. Não sei se estou extrapolando, mas é aquilo que sinto e que não devo guardar de ninguém, mas sei, ISSO SIM, que estou sendo sincera e mta justa para com você e pra com Leninha.

O tempo, querida Vera, se vai encarregar de atenuar todas essas feridas, essa perda, porque é assim que acontece com toda a gente e com você não vai ser diferente.

Agradeço suas palavras, seu amor pela Leninha e sua honestidade nata.

Beijos e um abraço bem sincero.

De Vera Lúcia a 18.07.2017 às 15:18

Fiquei sim Céu, sem chão, sem sol, sem flores, e ainda estou, com a alma mergulhada numa tristeza danada sem querer acreditar que a minha menina se foi para sempre. Às vezes penso que estou dentro de um pesadelo e que quando acordar vou saber que foi tudo fruto da minha imaginação. Choro muito, na esperança de ver as lágrimas secarem, mas parece que possuem uma fonte própria que não se esgota.
Como você também acredito que ela esteja numa dimensão bonita, e também acredito que já tenha feito ‘alguns partos’ e já esteja com um montão de afilhados, pois era assim a nossa Leninha, sempre prestativa e doadora.
Aqui na terra ela deixou muitos ‘órfãos’ que ainda choram a sua partida, mas a ser verdade que aqueles que partem continuam a olhar pelos que na terra ficam, eu chego a acreditar que ela continua a olhar pelos seus, e já que está mais perto do Pai, como ela denominava o seu Deus, acredito que ela esteja a todo momento pedindo por um dos seus protegidos.
Quando li a parte que você fala da despedida que ela deixou no seu blog e das coisas que ela falou, dei uma paradinha por aqui e fui lá ler a tal mensagem. Foi só agora que li a sua despedida para ela, ficou linda Céu, e ela deve ter adorado. Voltei na sua postagem anterior e vi a despedida dela pra você, e me perdoe dizer, mas fiquei com ciúmes. É como se ela tivesse lhe avisado que estava indo embora, porque não fez a mesma coisa comigo? Eu poderia ter me despedido de uma outra forma, poderia ter me dedicado mais a ela, sei lá, eu teria feito alguma coisa diferente Céu. Agora eu estou com um travo na boca, uma sensação de inutilidade. Ela adorava aquele texto que eu acho que é mesmo do Chico Xavier, pelo menos uma amiga nossa espírita a ele atribuiu. A 'ajeitada' que a Leninha fez nele ficou muito oportuna e muito bonita.
Eu sempre vou lamentar que ela não tivesse confiado em mim para contar sobre a gravidade da sua doença, pois as ‘deixas’ que ela ia deixando eram muito vagas e somente no último instante quando já estava indo para a sala de cirurgia é que ela me abraçou forte e agradeceu pelos anos de nossa amizade, por tudo que eu tinha feito por ela e me falou sobre as providências que gostaria que eu tomasse em relação ao seu blog. Mas como eu gostaria de saber tudo que envolvia a sua doença, eu teria um outro comportamento, sei lá, mas as coisas já aconteceram e não há como mudar nada.
A saudade será eterna Céu, como também a falta que vou sentir dela, do seu riso, da sua forma de se conduzir pela vida. A Leninha será sempre uma presença constante na minha vida, e para onde eu olhar ela estará lá sorrindo e ainda me dando força para prosseguir.
Grata Céu por todas as palavras de carinho para com a nossa Leninha, e saiba que ela tinha por você uma estima muito grande e uma grande admiração.
Um abraço de agradecimento e de afeto é o que lhe deixo,
Verinha

De CÉU a 19.07.2017 às 01:32

Acredito, piamente, que sim, que tudo isso desaparecesse de sua visão, pke sua menina tinha ido embora, depois daquele apertado abraço.
Ah, sim, os afilhados de cá e de lá estão bem protegidos, isso eu tenho certeza, embora não saiba onde se situa o tal "lá".
Agora, Verinha, a "coisa" está consumada e não há volta a dar, mas eu sei k olha à sua volta e tudo lhe lembra a Leninha, aliás, a casa que era dela, é agora sua, por expressa vontade dessa menina de coração de ouro.

Não sente ciúmes, coisa nenhuma, Verinha, pke quem mais do k você privou com Leninha e ouviu parciais desabafos? Você foi a pessoa em quem ela depositou toda a confiança, mas acho k ela poderia ter dito pra você a verdade e quem sabe você teria engendrado maneira de lhe prolongar a vida, pke a cirurgia, em caso de tumores malignos avançados, nunca se deve fazer, como todos os médicos sabem e ela tb sabia. Se há dor, há a consulta da dor, onde são prescritos medicamentos para essa dor e as pessoas lá vão aguentando. Resta saber, tb, há qto tempo ela tinha o tumor e ninguém sabia. Aquele cerebrozinho era mto especial, era, era!

Não me agradeça absolutamente nada, pke tudo o que fiz e faço é de livre e espontânea vontade. Eu sei k a saudade vai ser eterna, mas a vida tem de, pouco a pouco, retornar à normalidade relativa, bem sei.

Beijo e noite tanto qto possível serena.

De Ricardo Vergueiro a 17.07.2017 às 15:04

Leninha, não cheguei a me manifestar mas estava sempre por aqui olhando o que você escrevia, e apesar de gostar muito eu não deixava comentários pois não tenho nenhum blog para que você pudesse me visitar. Fiquei muito sentido quando volto hoje e encontro esta notícia tão triste. Que pena que tenha sido assim, para a Vera um abraço de profundo sentimento.
Rick

De Vera Lúcia a 17.07.2017 às 15:10

Ricardo, pena mesmo que você não tivesse se manifestado, a Leninha teria ficado feliz, pois adorava fazer novos amigos.
Grata pela visita e receba meu abraço.

De Marilene Duarte a 16.07.2017 às 22:39

Verinha, eu sempre quis saber em que cidade vivia nossa querida Leninha. De onde vocês são? Bjs.

De Vera Lúcia a 17.07.2017 às 15:08

Somos de São Paulo, Marilene.
Um abraço.

De Marilene Duarte a 17.07.2017 às 19:52

Obrigada, Verinha!! Vivi por quase 30 anos lá, onde tenho muitos amigos. Que pena que não coincidiu de me encontrar, pessoalmente, com ela. Já conheci outros amigos blogueiros e é uma delícia esse contato. Grande abraço!

De Ana Freire a 16.07.2017 às 16:06

Só ontem fiquei sabendo, pelo blog da Mirtes... e cheguei aqui, pelo endereço, que a Chica deixou nos seus Céus...
Fiquei extremamente triste! Nunca tive o prazer de conhecer a Leninha, mesmo virtualmente, mas fui-me apercebendo, pelo teor de alguns comentários, o quanto seria uma pessoa extremamente carinhosa e acarinhada, por todos...
Sabia que estaria bastante doente, ultimamente... e aguardava a oportunidade de que melhorasse, para começar frequentar o seu espaço... infelizmente, tal não se proporcionou...
Deixo os meus sentidos pêsames, a todos os seus familiares e amigos, e um beijo para você, Vera!... Que creio ter sido a autora desta página tão especial, com esta homenagem final, para Leninha!
Ana

De Vera Lúcia a 17.07.2017 às 15:05

Ana, infelizmente coube a mim encerrar o blog da Leninha e a mensagem que aqui deixei saiu entre lágrimas do meu peito, pois tínhamos uma ligação muito grande. Ela foi a melhor pessoa que conheci em toda a minha vida, a mais generosa e altruísta, sempre voltada para o bem comum e para a caridade, e enquanto exerceu a profissão o fez com um amor e dedicação muito grandes.
É pena que você não a tivesse visitado antes, pois na certa se tornariam amigas.
Um abraço afetuoso.

De Suzete Brainer a 16.07.2017 às 15:55

Leninha,

Ser especial,alma linda...
Sempre vibrou e vibrará no padrão sublime!...
Notícia dorida...
Ficará a saudade vestindo este ser especial no coração de
cada um!
Meu abraço solidário, Vera!

De Vera Lúcia a 17.07.2017 às 14:55

Suzete, a Leninha era sim um ser iluminado e tinha uma alma linda. Ficará uma saudade em cada coração que a conheceu.
Grata pela doces palavras e receba meu abraço.

Comentar post


Pág. 1/4






Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

arquivos

2017