Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



No apagar das estrelas...

Quarta-feira, 26.10.16

Contigo se foi aquela parte onde a poesia solfejava

estrelas num canteiro de sorrisos...

BANCO.jpg

Imagem-3-1024x762.jpg

O espaço era banhado por um fragmento de saudade que vagueava impaciente esbarrando nas paredes outrora enfeitadas com as telas que pintávamos a quatro mãos em pincéis mergulhados na alegria de existir para além das paisagens que criávamos e recriávamos num mundo todo nosso... O olhar pousou no antigo relógio que marcava uma hora perdida no tempo, como um longo pincel que desenha raízes nas sombras... Lembranças chegavam e partiam cobrindo as feridas recém-abertas e abrindo outras que vinham manchar de vermelho a escuridão que se fazia no olhar... As recordações pesavam nos passos cansados de forçada caminhada, barrando a memória que corria ansiosa pelas dobras de um passado ali tão presente, deixando que o vazio me cingisse ao peito. Nem vi a noite chegar e pendurar nos meus olhos as lágrimas novas salgadas no tempo...

Virei-me em direção à saída e uma noite fria me alcançou com tanta intensidade que por momentos fiquei sem saber onde estava...

bloguear 1.jpg

 

A escuridão me envolveu devolvendo todos os tortuosos momentos que por instantes haviam se perdido entre as frestas de uma doída saudade alojada na memória como um espinho que se enraizou para marcar um tempo que parece não passar nunca...  

Deixei a última lágrima secar ao vento e aconcheguei

a saudade entre os braços que me cingiam o corpo

embalando-a no apagar das estrelas

que me seguiam os passos...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 16:15


16 comentários

De Frida a 28.10.2016 às 02:16

Tao belo o texto minha querida, porem saiu de um coraçao ferido e machucado pela saudade, espero que o tempo mesmo que devagar, traga aos seus olhos novamente um pouco de cor e luz...
Nao existe nada que se possa dizer... mas torço para que aos poucos aprenda a conviver com a falta e que a serenidade esteja com vc...

Beijos, doce Helena...


De CARLOS a 27.10.2016 às 18:07

Sei que está saudosa e daí saiu esse lindo texto. Essa é a mágica, a grande compensação da poesia,extrai de momentos ruins belos poemas. Parabéns. Firmeza sempre.

De Emilia Pinti a 27.10.2016 às 16:41

Leninha querida, como já disse no Começar de novo, em resposta ao comentário que lá deixaste, já vim aqui algumas vezes e sempre li este desabafo do teu coração tão doído, mas o meu, não conseguiu encontrar uma palavrinha que fizesse algum sentido e, triste voltou para traz; não sei se fez bem, mas fez aquilo que achou melhor, No Começar de Novo e perante a tua coragem e força, o meu coração foi bem fundo nele e tirou as melhores palavras que encontrou e lá as deixou; decidido veio até aqui para fazer o mesmo e o melhor que tem para te dar é a sua grande amizade e a certeza de que estará sempre pronto a " escutar" os teus desabafos com todo o carinho de que é capaz e com muita tristeza por pouco poder fazer para aliviar essa dor. Virei sempre aqui para, pelo menos, dar a oportunidade ao meu coração de abraçar o teu. Força, querida amiga e obrigada pelo tanto de carinho que ainda és capaz de dar aos teus amigos.
Emilia

De Felisberto N Junior a 27.10.2016 às 03:27

Olá,querida Helena,bom dia...tão triste, mas tão belo...como dizem os poetas, a noite é amiga da saudade...claro que , as vezes, a saudade vem devagar, em outras, rajadas, com a sensação de perda, de vazio e que traz angústia, que tudo parece impossível de acabar, tudo nos faz lembrar. Mas, quando estiver de braços com a saudade, não permita que ela se transforme numa prisão emocional,não deixe que a saudade sufoque, que a impeça de continuar vivendo...somente eternize a presença de quem se foi, com a sua saudade ...Deus te abençoe!
(sorry, meu PCzão ainda está de molho e comentar pelo Note não é a mesma coisa,snif)
Agradeço pelo carinho,belos dias,beijos!

De lagrimasdelua a 26.10.2016 às 20:32

Como te entendo minha querida Leninha! Essa "noite" em que mergulhamos e da qual parece tão impossível sair, envolve-nos nos braços, cola-se à pele. Deixa rastos de frio e desconforto, de solidão e vazio na nossa alma. Mas sabes, meu anjo bom, a noite vai ter estrelas, e vai voltar a tornar-se dia. A noite vai trazer a serenidade que agora não existe. Mas eu sei que, aos poucos, tudo vai entrar no seu devido lugar. Acredita, não desanimes! Custa, é um esforço enorme que pedimos a nós mesmas, mas... Vai valer a pena, tenho a certeza. E tens que pensar e crer, que o teu amor vela por ti, olha por ti, e não quer que percas a vida, porque ele....Ele vive através de ti, das vossas memórias e dos vossos momentos. Dessas telas pintadas a 4 mãos. Bem sei que agora tudo isso apenas dói. Mas em breve vais conseguir olhar para tudo e sentir a paz, a beleza, a serenidade e o conforto que tudo o que foi vosso vai trazer.

Estou contigo minha princesa guerreira, pedacinho querido do meu coração. Força Leninha, as minhas mãos aqui ficam para prender as tuas.

Beijo de serenidade e paz para ti.

De chica a 26.10.2016 às 20:17

Dá pra sentir a saudade que mora em teu coração! Lindo, emocionante te ler! bjs, tudo de bom,chica

Comentar post


Pág. 2/2