Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O infinito de ti...

Terça-feira, 14.02.17

E tantos foram os caminhos andados...

helenaBLOGmontagem.jpg

Que em cada desvio percorrido

em cada curva superada

em cada obstáculo vencido

ia ficando um pouquinho de mim...

Fui me desfazendo de raízes

caules, folhas, tronco,

até que de árvore tombada

fui morrendo aos pouquinhos...

Desfazendo palavras

desatando enredos

desprendendo histórias

até nada mais sobrar

a não ser as diminutas raízes que renasciam entre os meus dedos fazendo surgir silenciosos brotos que se espalhavam por minhas mãos e projetavam no infinito de mim as mil notas de uma sonata debulhada em certezas.

E no centro de tudo estavas tu a enluvar-me as mãos com filamentos de seda para que eu espalhasse ao meu redor as sementes ungidas pelos deuses alados.

E renovados o tronco, os galhos, as folhas, flores e frutos,

sentei-me ao pé de mim,

viajante a descansar no seu sétimo dia,

para enfim descobrir que as novas raízes

haviam brotado do infinito de ti

dentro de mim...

 

1. tela "Renascer" do pintor espanhol José Royo

 

Obs. A partir de hoje pretendo responder aos comentários dos amigos que estão sempre a me honrar com suas visitas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 18:51


37 comentários

De Mae Maria a 27.02.2017 às 10:22

é tão bom conseguirmos, em tempo de descanso, nos renovarmos. Eu nem sempre o consigo fazer. é tão bom ver aqui o seu regresso, sempre inspirador. Abraço gigante, Isabel

De Fernanda Maria a 26.02.2017 às 21:19

Leninha,

As árvores morrem de pé minha amiga querida.
Uma parte de ti teve que morrer para renascer de novo, diferente decerto, mas ainda mais bela e sábia.

Um abraço muito apertado

De CÉU a 19.02.2017 às 20:52

Olá, Leninha, minha amiga querida!

Espero que estejas bem, relaxando e preparando a semana que amanhã se inicia, profissionalmente falando, e não só. Descansar, pra mim, é uma forma de me encontrar, de melhor me conhecer, me entender e ser feliz.

Sei k tu e a família de teu amado Guy estão bem felizes, lá num almoço em casa dos pais dele e de tua "irmã" Carolzinha, e só por isso, tu estás, eu sei, ainda mais feliz. Cada um precisa de seu espaço e timing, que é, diferente, naturalmente, de pessoa pra outra. Temos k entender as maneiras de ser e agir de cada um de nós, mas sermos sempre sinceros/as, não criando falsas ilusões, nem falsas esperanças, nem falsas expetativas a ninguém. Agindo, desse jeito, o outro, a outra, acabará por entender nossa sinceridade e honestidade.

PIEDADE é um substantivo comum abstrato que uso e partilho só em determinadas circunstancias e no AMOR NUNCA o devemos utilizar, mas por vezes, há pessoas, homens ou mulheres, falo genericamente, claro, k voluntária ou involuntariamente e dando "papas e bolos", querem enganar os "tolos", como se diz por cá, mas nós, a gente, não é "tola" e nem precisa, nem de papas, nem de bolos, pke já temos em casa o suficiente, mas todavia, mto obrigada pela gentileza deles ou delas.

Sei k és uma mulher inteligente, sensata e determinada e k te reges pela tua cabeça, e não pela dos outros, embora aceites sugestões, ideias dos k estão mais próximos de ti e de teus amigos, tb, mas teu percurso de vida, k ainda não é nada longo, teve já factos menos bons, ruins mesmo, k te deram firmeza, clarificação de mente e coração, personalidade, sensibilidade, k fizeram de ti a pessoa que hoje és e k te ensinaram k o caminho é sempre pra frente.

Uma sugestão! Posso? Olha, eu deixei de responder aos amigos em meu blog, pke às duas por três, eram respostas às respostas, enfim, um rosário de penas, alegrias, pedidos e convites, e alguns nada "católicos", se diga (rs), para além de "gastar" meus dedinhos e mãozinhas, como é do teu conhecimento. Evidente k se alguém me colocar uma pergunta, com interesse e pertinência, terei mto gosto em responder, mas tudo o resto é dito qdo comento os blogues, que sigo. Então, sugeria eu, que fizesses o mesmo em teu blog. Peço desculpa, se me intrometi naquilo k só a ti diz respeito, mas pra quem tanto k fazer, como tu, seria uma boa ideia, acho eu. Sorry pela "dica"!

Te desejo uma semana calma, com mta criança chegando ao teu Brasil, k tem uma "fraca" taxa de natalidade (rs), mta luz e flores em teu olhar.

Beijos, sóis e estrelas pra te guiarem, carinhosa e delicadamente.

De helena a 20.02.2017 às 01:31

Céu, apenas para agradecer pelo comentário. Amanhã, numa folguinha maior, dou uma chegadinha no teu espaço para falar como foi o Domingo e também sobre algumas decisões tomadas, uma até em consonância com a tua "sugestão". E é claro que pode dá-las quando e como te aprouver, pois bem sabes que respeito muito a opinião dos amigos de quem gosto, e tu fazes parte deste rol.
Amanhã será um dia tumultuado pelo problema da demissão que já te contei. E acabo de receber o telefonema de uma paciente pedindo para agendar sua cesárea na quarta-feira, e usando a expressão "de qualquer jeito". Fiquei quase uma hora ao telefone tentando que ela voltasse ao projeto anterior, ou seja, aguardar o processo normal do parto. Pode até ser antiquado, mas sou totalmente contra estas cesáreas eletivas. A pressa que algumas grávidas demonstram em trazer ao mundo o seu bebê, baseadas apenas na sua comodidade, confesso que me preocupa. Não apenas pela desnecessidade em se apressar um acontecimento que, sendo respeitado o processo natural, traz inúmeros benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê. Sou adepta do parto normal e te confesso que apenas faço uma cesárea quando não consigo em absoluto retroceder a decisão dos pais, e depois de esgotados todos os meus recursos. Ou então quando a situação assim requer. Sempre tive isto como norma, e depois de ter passado pela experiência única, divina, indescritível (infelizmente infrutífera) de trazer ao mundo uma criança dentro de um processo natural, acentuou-se em mim a necessidade de atuar somente neste sentido. Procuro conscientizar às mães desta vantagem, mas nem sempre logro êxito. A mamãe do telefonema já estava convencida dos benefícios, porém surgiu uma viagem para não sei onde, um cruzeiro com uma turma de amigos, e segundo ela teria que encaixar o parto à necessidade de estar recuperada dentro de um mês para aprontar a viagem com calma, providenciar compras, organizar-se, etc., para poder viajar em paz. Quando perguntei se ela achava conveniente viajar com uma criança de apenas um mês a resposta que ouvi foi mais ou menos esta: Não se preocupe, pois já está tudo arranjado, a criança (nem foi a expressão meu filho) ficará por conta de uma enfermeira particular e a minha avó (tem 79 anos) vai supervisionar tudo.
Pode imaginar o quanto me doeu ouvir isto, Céu? Estou chocada até agora, amiga, com o descaso desta mãe com a maternidade.
Mas enfim, minha querida, cada um age de acordo com a sua consciência.
Já fiz uma nova postagem, apressei-me a fazer por conta de decisões tomadas. Amanhã te conto tudo.
Que estejas a sonhar com todas as coisas boas e bonitas criadas na tua imaginação... (risos).
Ainda vou ultimar algumas providências, e apesar do cansaço não posso me dar o luxo de simplesmente deitar agora, apesar de que o cansaço está quase me fechando os olhos. Mas nada que um cafezinho não dê conta, apesar de evitá-lo sempre à noite.
Beijos, sorrisos, estrelas, nesta ordem, rs.

De Mae Maria a 27.02.2017 às 10:20

Helena, também fiquei chocada com a pressa desta mãe de ter seu filho, antes da hora da natureza marcar seu compasso, e muito mais chocada de deixar seu menino tão pequenino, tudo por uma viagem. Deus meu...porque teve esta mãe um filho se, tantas o quiseram e não conseguiram? Parece que Deus anda adormecido..beijo para si,Isabel

De Toninho a 19.02.2017 às 02:23

Oi Helena, que lindo o que inspirou!
A medida que lia só me vinha à mente a Fênix.E fui viajando nos seus caminhos, embaraçando nos ramos das folhas e admirando as flores, os novos brotos e me encantei, quando cheguei no centro do jardim.Que bela construção ou reconstrução em poesia de fina estampa de um sentimento dos mais puros, que faz historia.

Saudades de você amiga.
Um bom domingo para uma semana abençoada.
Carinhoso abraço de paz e luz.
Bjs.
Que esteja bem com você.

De helena a 19.02.2017 às 16:39

Toninho, meu querido amigo, feliz com tua visita. Também estive com saudades, mas consegui dirimi-las um pouco ao te visitar e me deparar com aquele beleza de postagem no "Aqui de onde o olho mira". Volto depois para apreciar a última.
Para ti, também, um domingo cheio de alegria a prenunciar uma semana inundada de realizações.
Um sorriso na alma.

De Bindi e Ghost a 17.02.2017 às 21:45

Boa noite querida amiga!
Também estava com saudades de te escrever...passava por aqui mas não deixava mensagens, preferindo te escrever na tua volta, que espero que seja com muita alegria e saúde. Também te levamos em nossos corações, como uma amiga sempre presente, de alma doce e exemplar ternura, espalhando somente flores e luz por onde passa, mesmo em momentos de tristeza.
No teu belo e profundo texto, ​onde colocas toda a tua alma que sabemos que sofre ainda muito, existe esta frase que acho que resume o aprendizado de todo o ser humano nesta terra: "...fui me desfazendo de raízes, caules, folhas, tronco, até que de árvore tombada fui morrendo aos pouquinhos..."
Nascemos ignorantes e puros, e vamos "aprendendo" coisas, introjetando regras, acumulando etiquetas e vernizes sociais...somado tudo isso ao temperamento herdado, temos uma bagagem imensa e pesada que, em certas ocasiões extremas, como as que tu passaste, são colocadas em cheque. Tudo aquilo que julgávamos imprescindível e urgente, de repente perde a importância. E dia a dia vamos revendo conceitos e regras de conduta que já não nos servem mais...e vamos perdendo pedaços, às vezes com dor e sofrimento, outras com alívio. E, com sorte e esforço, estamos de alma lavada, banhados na lavanda da simplicidade, precisando de muito pouco para viver e sermos felizes, percebendo que nos afetos compartilhados reside a verdadeira bênção, que o coração é o verdadeiro tesouro, e tudo o mais, somente acréscimo.
Desejamos dias serenos e muitas alegrias em tua vida!
Beijinhos
Bíndi e Ghost

De helena a 19.02.2017 às 16:29

Excelente a análise que fazem dos sentimentos expostos entre as emoções que permeiam meu texto. Perspicazes os dois, como sempre, em introduzir conceitos adquiridos não apenas na busca de conhecimentos para o aprimoramento pessoal, como também, e muito mais, nas vivências em que ambos conseguem extrair preciosos ensinamentos.
Como já expus no comentário lá no Recanto, o “pacto íntimo” além de nos conectar com a nossa essência mais pura também nos interliga saudavelmente aos nossos semelhantes.
Como tão bem foi explicitado no teu comentário: “ precisando de muito pouco para viver e sermos felizes, percebendo que nos afetos compartilhados reside a verdadeira bênção, que o coração é o verdadeiro tesouro, e tudo o mais, somente acréscimo”.
Grata, meus queridos, pela presença sempre constante e abençoada na minha trajetória, a me incentivar, apoiar, enaltecer e, principalmente, por me fazer “enxergar” para além dos meus limites.
Um beijo no carinho e admiração que os dois sempre me despertam.

De lagrimas de luar a 16.02.2017 às 11:17

Bem vinda minha terna, queridíssima e doce, Leninha!
Que esta viagem te tenha dado as asas dos anjos, os olhos das flores, a alma das estrelas.Há um infinito, de um alguém que jamais te abandona, que te dá seiva nova para fazeres brotar novas folhas, novas flores, novos frutos. Eu sei que sim... E tu também sabes - e sentes -, tenho a certeza.
É hora de começar novos passos, de olhar novos horizontes, de pintar novos sonhos e abraçar novos desafios. Sabes porquê, minha querida amiga? Porque a vida é um sopro breve que merece - e precisa - ser vivida com intensidade, com amor, com toda a alma e coração.
Alimenta as "novas raízes desse infinito" que te habita, inunda e torna a MULHER doce, forte, única e linda que és.

Bem vinda amiga terna, bem vinda a este novo tempo e nova seiva; Essa árvore vai ficar plena de novas flores que darão, a seu tempo, frutos de um amor calmo e profundo, de um amor infinito que brota das "raízes renovadas",
Recebe um beijo sem tamanho, um abraço tão apertado, que anule o cá e o aí. E as minhas mãos que prendem as tuas com um carinho sem fim.

De helena a 17.02.2017 às 10:28

Ah, minha doce amiga Luar, quanta poesia vieste trazer ao meu coração nestas mãos tão matizadas de ternura, tão entrelaçadas de carinho... Quanta coisa bonita de se ouvir!
É como se aqui chegasses entoando um doce canto, desses que adormecem anjos e fadas e encantam a alma das flores. Aqui estou eu, minha terna amiga, a sentir cada palavra tua penetrar de mansinho na minha alma, inundando-a com a suavidade do seu afago.
Esta viagem deu-me sim, minha querida, asas dos anjos, e no infinito pude sentir que ‘alguém’ sempre estará comigo, e é nesta lembrança que estou encontrando a força necessária para contnuar a ser a mulher forte, guerreira, que este ‘alguém’ um dia ajudou a me tornar.
Os dias após a chegada de umas férias, até necessárias para o descanso do corpo e energização da alma, foram de intensa atividade, muita coisa para reorganizar, muitos atendimentos profissionais, e agora é que estou colocando as atividades sociais no patamar que desejo.
Por isso, meu anjo, quero ir ao teu espaço com um tempo bem extenso para me deleitar com a beleza daquela poesia que só a delicadeza das tuas mãos sabem tecer.
Beijo recebido, abraço estreitado, que anulou sim aquele espaço entre nós, e tanto a ti cheguei, minha linda, que aqui estou a entregar um punhado de pétalas de rosas coloridas para enfeitar esse teu olhar tão adornado de ternura.
Até um próximo momento,
Leninha

De CÉU a 15.02.2017 às 22:53

Carolzinha, querida!

Mto cansada, né? Pois, "trabalho físico" (flete, sobe, insiste) cansa. Olha que com Gere não há cansaço possível e tal como você eu só queria que aquela tal de Júlia Roberts se eclipsasse totalmente pra "eu" fazer "exercícios físicos" com aquele "homi", lindo e envolvente. Ok. Você pode ser estar com Gere essa noite, mas não o canse mto, pke você tem mto fôlego, minina (rs) e não grude nele, não, pke amanhã é minha vez (rs). Falando sério, há homens sem interesse nenhum, sem jeitinho pra nada, mas Gere, Ave-Maria!

Pesquisa bem tudinho, observa reações (eu sei k você "não" é nem um pouquinho perspicaz), enfim, faça o guto, disparate, eu queria dizer faça o gosto ao dedo, como se diz por cá e depois me mande missiva, k a gente se entende mto bem.

Já comentei o post da Leninha e tb li os outros comentários, que são desabafos, apelos, só k a Leninha não se pode desdobrar em 10. Entende?

Beijinhos, linda e inté.

De Aninha a 16.02.2017 às 13:54

Migucha, já mandei dois emails enoooooooooooormes pra vc, contando tudinho, kkkkkkkk
Depois de ver novamente, de ouvir a música, de imaginar cenas, saio daqui desejando encontrar o Gere na esquina, livre da chata da Júlia, e sair de braços dados com ele para qquer lugar, talvez até um lugarzinho privê, quem sabe eu dou esta baita de sorte? kkkkkkkkk
Já cumpri minha obrigação com aquela chatonilda q lhe falei, ainda bem q foi tudo mto rápido, mas a pobre da Leninha pegou um rabo de foguete de um menino sentado e tá lá lidando com um parto super difícil, e com um pai chato pra burro querendo invadir a sala de parto.
Vamos ver no q vai dar.
Beijocas Ceuzinha.

De CÉU a 15.02.2017 às 22:40

Olha, Leninha, o comentário anterior é meu, da Céu, só k esqueci de preencher "formulário" do Sapo.

Beijinho, linda!

De a 15.02.2017 às 22:38

Seja bem-vinda, minha querida! Grata por tua visita, inteligentes e sensatas palavras.

Que bom ler, de novo, teus textos, teus desabafos! Compreendo e é normal que faças essas viagens interiores e exteriores, a fim de clarificares tua mente e coração, que já assumiu o acontecido, mas... Entretanto se abrem clareiras pra outros, pke a solidão e o escuro perturba o normal funcionamento de todos os órgãos (rs), e qdo já não temos mais 20 anos, é preciso tentar agarrar, de todas as formas e feitios, a Primavera, que por vezes, parece mais Outono, mas é somente fruto de uma situação, de um vento alíseo, de uma tempestade, que pensam eles, ser passageira, de algo que há de passar. Passará, sim, mas ficará a essência dela pra sempre, contudo ser feliz é um direito k te assiste e tu irás sê-lo, de novo, não do mesmo jeito, pke nada se repete da mesma maneira, mas feliz!

Escreves e descreves, divinamente, teus estados de alma e "aproveitando" tudo o que de belo e envolvente na Natureza se encontra, tu nos contas teu deambular, tua alegria, por vezes, triste, tuas vivências e teus sentires.

Foi bom estares com D. Cidinha e lhe mostrares "O Admirável Mundo Novo". A gratidão é qualidade, que te não falta, tal como a sensibilidade e o carinho com que tratas todos, sem exceção, o que, p vezes, pode ser confundido com outros afetos, mas não te preocupes com isso, pke o coração é k dita e ele é todo teu.

Gostei das imagens escolhidas, pke se adaptam, perfeitamente, ao teu texto, tão natural, qto verdadeiro.

Te deixo rosas brancas nas mãos e beijos nas tuas faces rosadinhas.

De helena a 17.02.2017 às 01:03

Céu, bom te ver por aqui, amiga!
Tua análise dos meus escritos sempre a trazer palavras sensatas, justas, equilibradas, a mostrar por vezes as nuances que deixamos camufladas e que só mesmo um olhar atento consegue fazer aflorar. Gosto da tua maneira de “ver as coisas”, teu jeitinho delicado e preciso de ajustar e entrelaçar as situações. Grata por isto.
É assim mesmo, minha linda, não consigo comedir ações, refrear impulsos, apesar de que me acho às vezes muito centrada, muito pés no chão, mas a profissão exige este controle, necessita dele para vivenciar as situações e saber como lidar com elas. Tu também vives isto na tua profissão, e sabes do que estou a dizer.
No entanto, acredite, não consigo refrear gestos e palavras nem conter a impulsividade quando se trata de manifestações de afeto. Quando dou por mim, já fiz, já falei, já me expus (risos).
Mas o que é muito pior (isto segundo a nossa amada Aninha, rs) é que não me arrependo, pois sei que não existe incerteza nem dúvida quando me manifesto afetivamente, justo por saber que não houve nenhuma intenção escusa, nenhum propósito oculto quando falo sobre alguma emoção ou sentimento.
Digo isto baseada na tua pertinente observação de que o carinho que muitas vezes eu expresso “pode ser confundido com outros afetos”. Eu percebo isto, Céu, e ao mesmo tempo em que por vezes me incomoda, também me chega a plena convicção de que, já que não houve a intenção de dizer algo que levasse a uma outra interpretação, não há porque me preocupar em modificar meu comportamento.
Como bem disseste “o coração é k dita”, mas sabe Céu, tem situações que estão me constrangendo. Falarei sobre isto no teu espaço, contando com a moderação... Posso?
Mas hoje, meu anjo, o cansaço já vence as minhas forças, pois tive um dia muito difícil e o corpo já pede por um descanso maior.
Até por lá, e grata por todo esse carinho e atenção para comigo. Tuas palavras sempre me trazem uma nova luz e o teu jeito de expor as situações me dão a confiança necessária para me expor mais.
Que lindos sonhos estejam a povoar o teu sono e que possam ser iluminados com as estrelas que enfeitam o sorriso dos anjos.
Meu carinho,
Leninha

De CÉU a 18.02.2017 às 01:29

Cá estou, de novo, para papear, um pouquinho contigo, querida!

As análises, k tento fazer ao que tu escreves, não são perfeitas, nem coisa k se pareça, mas é aquilo k me diz a experiência e sobretudo meus sentires. Não me agradeças, nada, pke há mto k nos "conhecemos".

Tanto na tua vida profissional, qto na privada e se tu tens a certeza do k estás dizendo ou fazendo, não há, não pode haver arrependimento, falta de "impulsividade", e de "não chamar os bois pelos nomes" (a expressão é um tanto rude, mas aqui se ajusta mto bem), caso sim, tu te mascararias e te descontextualizavas. Tu és mto determinada e sabes o que sentes, perfeitamente. És mto segura de ti própria, embora, vez ou outra, possa surgir uma dúvida, uma hesitação, enfim, tu és de carne e osso, portanto, "questionável".

Sim, tu estás convicta do que dizes e sabes de k matéria é feita as palavras, que dizes, que escreves, só que, do outro lado, as coisas, nem sempre são assim entendidas, mas isso é normal, trivial e tu não tens de te preocupar, NEM UM POUCO, com isso. A interpretação é o outro k a faz e ponto final, portanto continua com teu comportamento e tua maneira de ser.

Sim, eu sei, aliás, basta ler o teu blog, sobretudo esse mais recente post, mas qualquer um de nós pode dizer que prefere o azul ao amarelo e k nos tempos mais próximos não estamos viradas para qualquer "cor", ou então, dizermos abertamente aquilo k pensamos e sentimos, de forma elegante, mas decidida, para que não se alimentem ilusões.

Usa meu e-mail logo que queiras e fala do k desejares. Não julgo, não acuso, não aprovo, nem reprovo, APENAS LEIO E EVENTUALMENTE, POSSO SUGERIR, mas tu terás sempre a última palavra, a palavra mais importante.

Repousa, minha linda, pke precisamos de colocar o cérebro no lugar e deixar os neurónios dormir, pke eles bem k precisam.

Beijos, doces sonhos, livres, conscientes, determinados e sobretudo felizes e verdadeiros.

De a 15.02.2017 às 01:07

Querida Leninha.
Esqueci na postagem anterior de deixar meu nome no final do comentario. Mas ate acho que iria saber quem era, está observando como acho que me conhece rsrs. Enfim amiga, estou muito feliz com sua volta, e saber que fizeram uma boa viajem e se encontrou com familiares e se deram bem, é maravilhosa a noticias. Enorme abraço. Da sua eterna amiga Mirtes Stolze.

De helena a 15.02.2017 às 01:54

Claro que eu saberia que eras tu, minha querida, rs.
É inconfundível o teu jeitinho de falar as coisas com tanto afeto, tanto carinho.

Comentar post


Pág. 1/2