Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Palavras intocadas...

Sábado, 12.11.16

Ainda tenho palavras intocadas dentro de mim...

 

Recolhi-as como fiapos entrelaçados nas mãos de deuses que as fizeram brotar no suspiro de um relógio que pulsava na noite que se aveludava nas sombras já fenecidas pelo tempo, tal uma flor escondida num livro qualquer esperando que alguém ao folhear suas páginas pudesse repousar o olhar nas suas pétalas  e descobrir o segredo de amor que um dia fez pegadas na relva macia...

E as palavras dentro de mim a suplicar

pela sombra de um luar que as cubra

para que possam renascer no desabrochar da aurora

criando versos menos dolorosos

em poemas de grandes sentires...

Tela de Richard Edward Miller

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 11:50


13 comentários

De chica a 12.11.2016 às 20:09

Certamente ainda há muiiiiiitas palavras a serem ditas dentro de ti e tu o farás pouco a pouco...Lindo domingo! bjs, chica

De lagrimasdelua a 12.11.2016 às 19:47

Querida Leninha, as palavras dentro de ti são a beleza da tua alma, deixa que as estrelas brilhem dentro dela e se elevem bem alto num luar menos doloroso. Não tenhas medo, minha querida e doce amiga, de abrir esse livro onde as rosas exalam o perfume vago, mas eterno, de uma vida plena. Um poema de força e esperança. Eu sei, doce Helena, que o tempo sabe o que faz ... Que as tuas palavras/rosas ganhem a luz do sol e o perfume da primavera e se aninhem no teu coração.
Deixo-te um beijo cheio de carinho e força, com os raios suaves de luar.

De Augusto a 12.11.2016 às 12:41

Cara Helena, um dia você voltará a criar poemas de "grandes sentires" em "versos menos dolorosos", e a própria vida se encarregará de lhe mostrar o caminho.
Eis um lema que sigo: "Caminhante, não há caminho, o caminho se faz ao caminhar", isto segundo um poeta espanhol de nome Antonio Machado. Por isso acredito, minha querida, que você irá aos poucos descobrindo, ou melhor, redescobrindo como escrever novamente uma poesia que não contenha o sofrimento que hoje ainda habita o seu magoado coraçãozinho. Dê tempo ao tempo, como todos os amigos que por aqui passam estão a lhe dizer.
Mas também não quero dizer que você não deve ficar falando da sua tristeza, LONGE DE MIM TAL INTENÇÃO, pois a bem da verdade gosto muito de tudo aquilo que você escreve. Existe uma bela poesia mesmo nos versos doloridos, na construção das suas imagens. Enfim, você bem sabe como me apetece o seu modo de escrever, exemplo disto é a homenagem que tenho para você lá no CiênciasMédicas, mas já adianto que não fui eu que a fiz... Uma pena, mas endosso tudo que ali está escrito.
Como sei que o seu final de semana será todo para receber os seus bebês, vou ficar aguardando ansioso a sua visita para quando você puder me dar este prazer.
Um abraço apertado, mas largo o bastante para que você possa respirar... rs rs rs.

Comentar post


Pág. 2/2