Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Para sempre...

Terça-feira, 01.11.16

Hoje a saudade veio aninhar-se junto a mim

naquela rede que a tarde cobria num manto de paz

solfejando nas notas do piano as vestes da alegria

para entreter com uma melodia o nosso olhar extasiado de flores...

redes-para-jardim-0.jpg

 

E ficávamos nós dois ali, de mãos dadas, brincando de jogar olhares  que divagavam ternura num tempo tão longe passado, outras vezes com sorrisos alongados para os dias que ainda se escreviam num quadro de futuro tão distante que nem nosso olhar arcoirizado de certezas poderia alcançar...

Éramos dois apaixonados a passear pelas colinas alaranjadas de um pôr de sol tão reluzente que nos permitia divisar os deuses a pintar desejos em matizes que nenhum mortal poderia conceber.

Hoje meu olhar não consegue divisar os deuses a colorir o horizonte nem escutar o piano se vestindo de alegria nem sentir a tua mão a segurar delicadamente a minha... 

Fecho os olhos e te vejo a me acenar num mosaico de ternura a colorir os passos que teus pés teceram no rendilhado dos caminhos por ti percorridos.

Hoje, em que as lembranças se acentuaram no rastro da tua luz, estou te mandando de presente um punhado de pétalas de rosas brancas aninhadas nas asas daqueles anjos dourados que tu me apontavas dizendo que eram eles que me protegiam...

É a ti, meu doce amor, que hoje eles protegem! Tu, que o Pai quis aninhar novamente entre as Mãos que um dia te depositaram no mundo para iluminar os seres que de ti se acercavam...

São para ti as lembranças deste imenso amor que habitará para SEMPRE o meu coração doído de SAUDADE. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

de helena às 00:03


16 comentários

De CÉU a 06.11.2016 às 15:03

Passei por cá há dias e li teu post, só que estava com pouco tempo para comentar.
Que dizer de tudo o k sentes? Nada e tudo, acrescentarei.
São absolutamente normais todas as tuas palavras, sensações, reações, sensações e atitudes, atendendo ao contexto k estás vivendo.

A saudade é daquelas "coisas", k parece k nunca "morre", apenas se esbate. Todavia, há correntes na Psicologia que dizem k a saudade pode virar, passado alg, tempo, algo mto bom, "empurrando" a pessoa a seguir em frente, feliz, com novos projetos e eu acredito nisso.

O tempo será o teu melhor aliado, sem dúvida Leninha!

Beijos e dias já mais claros.

De Antonio Pereira a 05.11.2016 às 12:15

Olá, Helena.

Saudade, presença da ausência, poema da provisória distância entre os corações. Poema triste mas belo; passageiros versos de inverno no aguardo da primavera do reencontro.

Um abraço.

De Fábio a 05.11.2016 às 02:37

Comovente, sabe, tocante, tuas palavras sempre tão ternas, tão suaves. De uma ternura infinda. Doce, Leninha. Abraços afetuosos.

De Poções de Arte a 04.11.2016 às 11:23

Bom dia minha querida!
É um post emocionante - dá para sentir a dor da saudade em cada palavra. É um dom traduzir sentimentos em palavras, acho muito difícil . . .

Obrigada pelo carinho com o quadrinho. Acho que todos nós pegamos um pouco do pai e da mãe, não é? A minha mãe pintava tecido, bordava, fazia tricô e crochê... hoje em dia ela borda muito raramente, o que é uma pena, pois fazia lindos trabalhos.

Que seu final de semana seja lotadinho de bênçãos.
Abraços esmagadores.

De Zilani Celia a 04.11.2016 às 00:41

OI HELENA!
GOSTARIA DE PODER TE ENVIAR UM ABRAÇO DE VERDADE, NAS ASAS DE UM "ANJO DOURADO", SABENDO, COMO TEU AMADO TE DIZIA QUE ELES CUIDAM DE TI E NA CERTA TE ACALENTAM EM TEUS MOMENTOS DE SAUDADE.
QUE A FORÇA ESTEJA CONTIGO AMIGA.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

De Jaime Portela a 03.11.2016 às 16:53

Um texto de saudade e de amor.
Emocionou-me.
Continuação de boa semana, querida amiga Helena.
Beijo.

De Suzete Brainer a 03.11.2016 às 13:28

Querida Leninha,

Um texto poético belíssimo, tão encantador e ao mesmo tempo
tão dorido, com a inscrição da tua saudade imensa, minha querida.

Desejo muita força para ti e que este teu talento das artes te
ajude na catarse desta tua dor. Um dia de cada vez,querida poetisa!

Grata pela tua generosidade ímpar no teu comentário belíssimo no
meu espaço, inscrito do teu talento de análise tão profunda com
o teu olhar poético.

Muita luz e paz para ti e teus familiares e um dia de cada vez na
sua luminosidade divina, querida Leninha!
Beijos.

De Toninho a 03.11.2016 às 02:20

Oi Leninha, os anjos continuam também a lhe proteger tenha certeza disso.
A saudade vem em cores,cheiros e se aninha em nós com suas garras, mas também
nos levam para viagens maravilhosas de belos momentos compartilhados e para a
nossa paz e daqueles que nos amam devemos nos agarrar à estas.
Paz no seu coração e que Deus na sua infinita bondade a cada dia lhe refaça as
forças da superação, para prosseguir sua jornada.
Carinhoso abraço amiga.
Bju no coração.

De Fê blue bird a 02.11.2016 às 20:11

Minha querida e doce Leninha:
Para sempre... esse seu lindo e eterno amor irá ajudá-la a superar esses momentos em que a saudade invade um espaço antes ocupado com a presença amada.
Quando o nosso coração transborda amor e temos a certeza que demos tudo o que era possível dar, sentimos uma paz imensa, apesar da dor, apesar da ausência.
Esses anjos dourados que a protegem, minha querida amiga, nunca a irão abandonar, pois estão conectados com Deus e com o seu amado.
Um beijinho muito emocionado por este seu maravilhoso e sentido texto.



De lagrimas de luar a 02.11.2016 às 18:11

Minha querida Leninha, que postagem mais doída mas mais bonita, mais meiga mais tão de dentro do teu coração e alma. Sim, eu sei o quanto custa a saudade, a dor da perda, o saber que só as memórias vão ser as companhias dos passos que ainda temos que dar "deste lado das estrelas". Mas, há sempre um mas em tudo, o tempo (que agora parece tão cruel e mau) vai ajudar. Acredita, minha doce amiga, que, devagar, essa calmia vai inundar-te, vai chegar na tua vida e vai permitir um "sossego" ainda que triste, mas sem dor. Pelo menos não essa dor de agora:aguda e forte.
Deixo-te um beijinho com todo o carinho e força nesse teu coração sem tamanho e tão, mas tão lindo.

Beijinho de luar

Comentar post


Pág. 1/2